A FORMA DE MORRER IMPACTA NO PROCESSO DO LUTO?

Buscamos essa resposta de Tom Almeida. Profissional de marketing, Tom partiu da experiência de perdas pessoais para mergulhar, de forma ativa e intensa, em estudos sobre envelhecimento, cuidados paliativos, morte e luto.

 

“Sabemos que o luto é um processo natural e muito particular. Cada um tem seu tempo, às vezes mais voltado para a perda, às vezes mais voltado à restauração. E está tudo certo. Mas é claro que a forma com que a morte acontece impacta no processo. As mortes em que há a possibilidade de despedida, oferecimento de cuidado e dignidade, tendem a trazer mais conforto para o enlutado”, afirma Tom.

 

Inspirado nos maiores especialistas do tema, nacionais e internacionais, Tom criou eventos que passaram a repercutir os muitos e pouco explorados lados da finitude. Uma das suas iniciativas pioneiras foi a criação de um festival para falar sobre a morte! O Festival inFINITO, que promove uma série de palestras, workshops, entrevistas e vivências está em sua quarta edição.